Quantidade de garrafas PET beira o insustentável

Práticas e econômicas, as garrafas PET estão por toda a parte.

Seja em um almoço de família ou durante uma simples caminhada no parque, esses acessórios já se tornam símbolo da sociedade atual – que busca a comodidade e a praticidade em primeiro lugar.

Sem dúvidas, os plásticos facilitaram muitos avanços ao longo do século passado. Porém, alguns de seus usos atuais alcançam números assustadores e insustentáveis.

Dados divulgados pela empresa Euromonitor, a pedido do jornal britânico The Guardian, revelaram que a cada minuto um milhão de garrafas plásticas são vendidas em todo o mundo. 

Se a quantidade for somada anualmente, chega a incrível marca de 500 bilhões. E em uma perspectiva para 2021, o uso de garrafas plásticas de água aumentará para 583,5 bilhões de unidades. 

Desse montante, menos da metade é coletada e enviada para reciclagem – sendo que apenas 7% delas se tornam novas garrafas. 

Brasil segue o mesmo ritmo. Somente nas regiões metropolitanas do país, são 15 milhões de domicílios que geram mais de seis bilhões de embalagens PET todo ano. 

E mesmo com o trabalho dos catadores – que evita o despejo de aproximadamente 274 mil toneladas de garrafas em aterros por ano – quase metade do PET descartado vira lixo. Os dados são da Abipet (Associação Brasileira da Indústria PET).

Além disso, não faltam estudos recentes sobre a poluição dos oceanos por lixo plástico e seus efeitos nocivos sobre a vida marinha.

O aumento da utilização de plásticos é de tal forma significativo que, em 2050, os oceanos terão mais detritos desse material do que peixes – como alerta um relatório da Fundação Ellen MacArthur apresentado no Fórum Econômico Mundial em 2016.

O fato é que está cada vez mais difícil acompanhar o grande volume de resíduo plástico produzido. Para tentar evitar que os números aumentem e a situação se torne irreversível, são necessárias mudanças de hábitos consumistas por parte de cada um. 

E pequenas atitudes do dia a dia podem contribuir nessa missão. Exemplo disso é a reutilização de uma mesma garrafinha diversas vezes.

Passeios em locais públicos, como praças e parques, são frequentes e, especialmente no verão, exigem hidratação.

Além de ser pouco em conta, a aquisição de garrafas de água é insustentável. Por isso, é possível perceber a importância da oferta de água pública de qualidade.

Por esse motivo desenvolvemos o Icehot, um equipamento que fornece água filtrada, quente e gelada, de forma gratuita à população. 

Uma espécie de bebedouro – todo fabricado em aço inox, material de alta durabilidade, facilidade de limpeza, resistência a variações bruscas de temperatura e ótimo apelo estético – e segue rigorosos padrões de higienização.

O Icehot não necessita de investimento do município para a instalação – que arca, apenas, com o fornecimento de água e energia elétrica para o funcionamento.

O mobiliário é viabilizado exclusivamente por meio de mídias, que divulgam suas marcas no próprio equipamento.

Ficou interessado nessa solução? Entre em contato e solicite uma visita de nossa equipe.

Texto: Exata Comunicação

0 thoughts

Deixe uma resposta